O que fazer com sua avó: melhorando a qualidade de vida de nossos idosos

Para definir o conceito de qualidade de vida para pessoas idosas, há que ter em conta uma série de fatores básicos, entre os quais encontram-se como mais importantes o bem-estar físico, a saúde mental e a sensação de segurança e carinho para com as relações interpessoais e, sobretudo, as familiares.
Uma pessoa não é uma pessoa inútil, de que devemos cuidar sem mais. As pessoas idosas devem sentir-se úteis e com horizontes que cobrir para, efetivamente, se sentir mais reconfortadas com sua vida.
Nesse sentido, é importante incentivar o seu desenvolvimento pessoal e nunca esquecer a oportunidade do desenvolvimento intelectual. Por exemplo, uma pessoa mais velha pode começar alguns novos estudos, ou, talvez, iniciar uma série de viagens culturais. Também é altamente recomendável que, na medida do possível, seja capaz de desempenhar trabalhos que esteja disposta a assumir.
A pessoa, maior deve também encontrar tempo para seu lazer, realizando atividades recreativas ou atividades para socializar, talvez usando as novas tecnologias, como as redes sociais criadas para pessoas idosas. O smartphone e o tablet, assim como algumas aplicações recomendadas para a estimulação cognitiva, podem ser um bom aliado para melhorar evitar o declínio cognitivo dos avós e assim manter suas mentes ativas.
Além disso, o aprendizado de novos idiomas também é uma atividade bastante útil para evitar a destruição de neurônios, tal como aponta um artigo na revista Behavioral Brain Research, foi levado a cabo por Brian Gold, em que se examinaram os achados acerca do bilinguismo.
Finalmente, para ganhar em qualidade de vida e combater os efeitos de doenças ou prevenir futuras doenças, os idosos também devem praticar exercício físico moderado ou, ao menos, evitar o mais possível a vida sedentária.
Com as pessoas mais velhas também podemos realizar muitos projetos ou compartilhar hobbies ou momentos especiais, qualquer coisa é válida para demonstrar que há uma relação de carinho e compreensão. Às vezes, porém, nossos avós estão em um estado físico ou mental que o torna difícil de conviver naturalmente com eles. No caso das pessoas idosas dependentes, então podemos precisar da ajuda de profissionais.
Centros de dia
Uma boa solução para alcançar todos estes fatores básicos são os centros de dia, que são especialmente indicados para as pessoas idosas dependentes.
Os centros de dia são instalações especializadas na terceira idade, onde uma equipe de profissionais oferece serviços de prevenção, tratamento e cuidado das pessoas idosas. O normal é que os centros de dia permaneçam abertos de segunda-feira a sexta-feira, durante oito horas diárias, podendo, às vezes, abrir também no fim-de-semana.
Um centro de dia, pois, não é apenas um local de lazer para manter divertido ao residente, mas que também lhe oferecerá ao usuário tratamentos e assistência para suas patologias físicas e psicocognitivas como sociais. Na União Europeia, todos os dias, mais de 15.000 pessoas idosas sofrem uma lesão suficientemente grave para solicitar tratamento médico. Nesse sentido, os centros de dias oferecem maior cobertura e segurança para este tipo de acidentes associados ao cuidado de idosos.
Outra vantagem dos centros de dia é que os usuários não estão totalmente desconectados de seu ambiente, ou ambiente de referência, porque não estão em situações de total dependência. Paralelamente, no entanto, os usuários estão recebendo uma assistência que melhora a sua qualidade de vida, retardando os sintomas próprios da idade.
É dizer, que um centro de dia é algo assim como um passo intermediário entre estar em casa ou entrar em uma residência. De fato, é uma boa forma de se familiarizar com o ambiente das residências para que o ingresso definitivo não se traduza em uma mudança brusca na vida da pessoa maior.